Profile coffee cultivars sensory processed in dry and humid via after storage

Authors

  • Bruno Batista Ribeiro UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
  • Cleiton Antônio Nunes Universidade Federal de Lavras
  • Antonio Jackson Jesus Souza Universidade do Estado da Bahia
  • Fernanda Faria Montanari Universidade Federal de Lavras
  • Virgílio Anastácio da Silva Universidade Federal de Lavras
  • Raul Antônio Viana Madeira Universidade Federal de Lavras
  • Clovis de Piza Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais

Keywords:

Coffea arabica, Coffee quality, Post-harvest, Principal component analysis

Abstract

The different types of post-harvest processing employed in coffee fruits may yield different beverages, whose sensory profile depends on environmental factors and management in the production process. All the processes involved in coffee production, from soil and climatic characteristics of the growing area to the adopted storage system, interfere in the coffee beverage quality. The objective of this research was to describe the sensory profile of different coffee varieties processed by dry (natural) and wet (demucilated), after one year of storage. Were evaluated sensorially four coffee cultivars (Red Catuaí IAC 144, Iapar 59, Yellow Bourbon e Paraíso MG H 419-1), of Coffea arabica L. of the 2012/2013 season with the completion of two post-harvest processing (natural and demucilated cherry) after one year of storage. Sensory analysis was performed by two accredited tasters and enabled through the protocol of the Specialty Coffee Association of America - SCAA. Cultivars behave differently in quality according to the adopted process. Coffees of the natural processing stood out in most sensory attributes evaluated in relation to demucilated coffees after one year of storage. The Red Catuaí IAC 144 and Iapar 59 showed better quality when subjected to natural processing. Already in demucilated coffees, highest scores were awarded the Yellow Bourbon cultivars and Paraíso.

Author Biographies

Bruno Batista Ribeiro, UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS

Possui graduação em Superior de Tecnologia em Cafeicultura e Especialização em Cafeicultura Sustentável pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas . Mestrado pela Universidade Federal de Lavras, no Departamento de Ciências dos Alimentos, com pesquisa voltada para a produção de cafés de alta qualidade. Graduando em Agronomia pela UFLA e Doutorando em Fitotecnia pelo Departamento de Agricultura - UFLA. Professor convidado IF - Sul de Minas/Campus Muzambinho Pós-Colheita e Qualidade de Cafés para a Pós-Graduação em Cafeicultura. Professor da Rehagro no Curso de Gestão da Cafeicultura, com a temática Pós-Colheita do Café. Trabalhos de extensão com o Senar MG, Sebrae, Federação dos Cafeicultores do Cerrado, associações e sindicatos no Sul, Cerrado e Norte de Minas Gerais . Degustador credenciado pela Coffee Quality Institute (Q-Grader). Atua principalmente nos seguintes temas: cafeicultura; qualidade; colheita; pós-colheita., classificação, degustação, torração.

 

Cleiton Antônio Nunes, Universidade Federal de Lavras

Doutorado em Agroquímica pela Universidade Federal de Lavras (2011). Mestrado em Agroquímica pela Universidade Federal de Viçosa (2008). Graduação em Química pela Universidade de Itaúna (2006). Técnico em Química pela Escola Técnica de Divinópolis (2002). Atua nas áreas de Química e Análise de Alimentos e Tecnologia de Óleos e Gorduras. Membro do Programa de Pós-Graduação em Agroquímica da UFLA. Tem interesse no uso de ferramentas quimiométricas aplicadas em ciência dos alimentos, sobretudo envolvendo cromatografia gasosa, espectrometria de massas, espectroscopia no infravermelho e tecnologia de óleos e gorduras. É desenvolvedor dos softwares Chemoface (ufla.br/chemoface) para quimiometria e SensoMaker (ufla.br/sensomaker) para estudos sensoriais.

Antonio Jackson Jesus Souza, Universidade do Estado da Bahia

Doutorando em Agronomia, área de concentração, Fitotecnia pela Universidade Federal de Lavras UFLA (2011). Participação em missão de estudos, no Centro de Pesquisa e Extensão do Agronegócio Café CEPECAFÉ, na Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais EPAMIG, em Lavras, MG. Participação na disciplina internacional em Sustainable Entrepreneurship ministrada pelo professor Raymond Amtmann da Universidade de Michigan EUA, Campus da Universidade Federal de Lavras UFLA (2010). Mestrado em Agronomia, área de concentração, Fitotecnia pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia UESB (2010), desenvolvendo estudo sobre: Qualidade do café arborizado e a pleno sol submetido a diferentes manejos pós colheita em Vitória da Conquista, BA. Graduado em Engenharia Agronômica pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia UESB (2009), com experiência em programa de extensão com Arborização de Cafezais na Chapada Diamantina, participação em projeto de pesquisa com diversidade e freqüência de plantas daninhas em cafezais arborizados, participação de eventos como a Semana do Café de Barra de Choça, Semana de Agronomia, Semana do Biólogo, Congressos, Seminários, Simpósios, Encontro Nacional do Café, Cursos de Inglês, Informática Avançada e Treinamento Empresarial.

Fernanda Faria Montanari, Universidade Federal de Lavras

Graduanda do 9° período em Nutrição, na Universidade Federal de Lavras. No período de junho de 2013 a julho de 2014, realizou pesquisa extensão (bolsa UFLA) sob orientação da Prof. Dr. Ana Carla Marques Pinheiro. Atualmente é monitora da disciplina de Avaliação Nutricional II sob orientação da Prof. Dr. Isabela Coelho de Castro. Membro do Núcleo de Estudos em Saúde Materno Infantil (NESMI) e Núcleo de Estudos em Nutrição Clínica (NENUCLI).

Virgílio Anastácio da Silva, Universidade Federal de Lavras

Possui graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal de Lavras (1977), Mestrado em Agronomia (Fitotecnia) pela Universidade Federal de Lavras (1994) e Doutorado em Ciências dos Alimentos pela Universidade Federal de Lavras (2005), na área de concentração de Pós-colheita. Professor da Universidade Federal de Lavras (UFLA) desde janeiro de 2010, lotado no Departamento de Agricultura/Setor de Cafeicultura. Professor do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Sul de Minas-Campus Muzambinho de 2003 a 2009, sendo responsável pelas seguintes disciplinas no Curso Superior de Tecnologia em Cafeicultura: Meio Ambiente e Preservação Ambiental; Produção de Sementes e Mudas de Cafeeiro, Colheita e Pós-Colheita do Café. No Curso Técnico em Agropecuária foi responsável pelas seguintes disciplinas: Plantio Direto e Meteorologia Básica. Atualmente está desenvolvendo os seguintes trabalhos de pesquisa: Eficiência do Aguapé no Tratamento da Água Residuária do Café Processado por Via Úmida; Viabilidade do Aguapé como Adubo Orgânico na Lavoura Cafeeira; Desenvolvimento e Avaliação de Tubete com Parede Telada na Qualidade da Muda de Cafeeiro; Desenvolvimento e Avaliação de Produto na Qualidade da Bebida do Café em Tratamento de Pós-Colheita; Efeito do Comprimento do Tubete na Qualidade da Muda de Cafeeiro; Eficiência do Ozônio na Produção de Mudas de Cafeeiro.

Raul Antônio Viana Madeira, Universidade Federal de Lavras

Possui graduação em Tecnologia em Alimentos pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais - Campus Bambuí (2007). Especialização em Biotecnologia e Qualidade em Alimentos pela Faculdade Pitágoras - Campus Uberlândia (2010). Mestrado na área de Ciências dos Alimentos pela Universidade Federal de Lavras (2014). Atualmente sou aluno de Doutorado no programa de pós-graduação em Ciência dos Alimentos da Universidade Federal de Lavras. Minha experiência profissional se fez na área de ciência e tecnologia de alimentos e gestão da qualidade aplicada a produtos cosméticos. Trabalho atualmente com Tecnologia de Alimentos, atuando principalmente com: gestão e controle de qualidade, gestão e uso de subprodutos, gestão e qualificação de colaboradores, caracterização tecnológica de trigo e seus derivados, tecnologia de panificação, grãos, raízes e tubérculos.

Clovis de Piza, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais

Possui graduação em Cafeicultura pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais (2012) . Tem experiência na área de Agronomia.

References

BERTRAND, B.; VAAST, P.; ALPIZAR, E.; ETIENNE, H.; DAVRIEUX, F.; CHARMETANT, P. Comparison of bean biochemical composition and beverage quality of Arabica hybrids involving Sudanese-Ethiopian origins with traditional varieties at various elevations in Central America. Tree Physiology, Victoria, v. 26, n. 9, p. 1239-1248, June 2006.

BORÉM, F. M.; NOBRE, G. W.; FERNANDES, S. M.; PEREIRA, R. G. F. A.; OLIVEIRA, P. D. Avaliação sensorial do café cereja descascado, armazenado sob atmosfera artificial e convencional. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 32, n. 6, p. 1724-1729, nov./dez. 2008.

CORADI, P. C.; BORÉM, F. M.; OLIVEIRA, J. A. Qualidade do café natural e despolpado após diferentes tipos de secagem e armazenamento. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental. Campina Grande, v.12, n.2, p.181–188, mar./abr. 2008.

CORRÊIA, P.C.; JÚNIOR, P.; SILVA, F. D.; RIBEIRO, D. M. Qualidade dos grãos de café (Coffea arabica L.) durante o armazenamento em condições diversas. Revista Brasileira de Armazenamento, Viçosa, n.7, p.137-147, jan./jun. 2003.

EVANGELISTA, A. W. P.; CARVALHO, L. G. de; SEDIYAMA, G. C. Zoneamento climático associado ao potencial produtivo da cultura do café no Estado de Minas Gerais. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 6, n. 3, p. 445-452, set./dez. 2002.

FARAH, A.; MONTEIRO, M. C.; CALADO, V.; FRANCA, A. S.; TRUGO, L. C. Correlation between cup quality and chemical attributes of Brazilian coffee. Food Chemistry, Oxford, v. 98, n. 2, p. 373-380, abr./jun. 2006.

FIGUEIREDO, L. P. Perfil sensorial e químico de Genótipos de cafeeiro Bourbon de diferentes origens geográficas. 2010, 81 p. Dissertação (Mestrado em Ciências dos Alimentos) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2010.

KOBAYASHI, E. S.; SAKAI, E.; SILVA, E. A. da; PIRES, R. C. M. Condições ambientais e o manejo da irrigação influenciando a qualidade do café. O Agronômico, Campinas, v. 59, n. 1, p. 30-32, jan. 2007.

LAVIOLA, B. G.; MARTINEZ, H. E. P.; SALOMÃO, L. C. C.; CRUZ, C. D.; MENDONÇA, S. M.; PAULA, N. Alocação de fotoassimilados em folhas e frutos de cafeeiro cultivado em duas altitudes. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 42, n. 11, p. 1521-1530, nov. 2007.

LEITE, R. A.; CORRÊA, P. C. C.; OLIVEIRA, M. G. de A.; REIS, F. P.; OLIVEIRA, T. T. de. Qualidade tecnológica do café (Coffea arabica L.) pré-processado por “via seca” e “via úmida” avaliada por método químico. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v.2, n.2, p.308-311, mai./ago. 1998.

LIU, P.; BYERS, A.; GIOVANNUCCI, D. Value-adding standards in the North American food market-trade opportunities in certified products for developing countries. FAO Trade and Markets Division, 2008.

MALTA, M. R.; DOS SANTOS, M. L.; DE MELO SILVA, F. A. Qualidade de grãos de diferentes cultivares de cafeeiro (Coffea arabica L.). Acta Scientiarum Agronomy, v. 24, p. 1385-1390, jan./dez. 2002.

MINGOTI, S. A. Análise de dados através de métodos de estatística multivariada: uma abordagem aplicada. Belo Horizonte: UFMG, 2005. 297 p.

NOBRE, G. W.; BORÉM, F. M.; FERNANDES, S. M.; PEREIRA, R. G. F. A. Alterações químicas do café-cereja descascado durante o armazenamento Coffee Science, Lavras, v. 2, n. 1, p. 1-9, jan./jun. 2007.

NUNES C.A.; PINHEIRO A.C.M. SensoMaker versão 1.4. UFLA, Lavras, 2012.

RIBEIRO, F. C. et al. Storage of green coffee in hermetic packaging injected with CO2. Journal of Stored Products Research, vol. 47, October 2011, p. 341 e 348.

SANTOS, M. A.; CHALFOUN, S. M.; PIMENTA, C. J. Influência do processamento por via úmida e tipos de secagem sobre a composição, físico química e química do café (Coffea arabica L.). Ciência e Agrotecnologia, v. 33, n. 1, p. 213-218, jan./fev. 2009.

SELMAR, D., BYTOF, G., KNOPP, S.E. The storage of green coffee (Coffea arabica): decrease of viability and changes of potential aroma precursors. Annals of Botany, v. 101, p. 31-38, jan. 2008.

SPECIALTY COFFEE ASSOCIATION OF AMERICA. Backgrounder: what’s special about specialty coffee? 2008. Disponível em: <http://www.javadavescoffee.com/PDF_Documents/Press-What-is-Specialty- Coffee.pdf>. Acesso em: 22 dez. 2009.

Published

2017-06-04

How to Cite

RIBEIRO, B. B.; NUNES, C. A.; JESUS SOUZA, A. J.; MONTANARI, F. F.; SILVA, V. A. da; VIANA MADEIRA, R. A.; PIZA, C. de. Profile coffee cultivars sensory processed in dry and humid via after storage. Coffee Science - ISSN 1984-3909, [S. l.], v. 12, n. 2, p. 148–155, 2017. Disponível em: https://coffeescience.ufla.br/index.php/Coffeescience/article/view/1168. Acesso em: 19 jun. 2024.

Issue

Section

Articles