Uso da geoestatística no manejo sustentável de nematoides de galhas do cafeeiro

Leandro da Silva Almeida, Ednaldo Carvalho Guimarães

Resumo


Os fitonematoides são uma das principais causas de perdas na cafeicultura. Este trabalho teve por objetivo usar a geoestatística como ferramenta de mapeamento espacial dos fitonematoides, buscando assim o manejo sustentável destes nas propriedades. O experimento foi realizado na fazenda Brasil que possui 65 ha de cafeeiro arábica (Coffea arábica L.), localizada no município de Araguari-MG, cujas coordenadas geográficas da sede são: 18°32’55.99”S, 48°24’10.46”O. Foi utilizada uma malha aleatória estratificada de um ponto por hectare, totalizando 65 pontos. A espécie de fitonematoide identificadafoi a Meloidoigyne exigua, que foi avaliada quanto à probabilidade de infestação na área e quanto ao seu linear de dano econômico, por meio de krigagem indicadora. Constatou-se que os modelos geoestatísticos foram apropriados para descrever o comportamento espacial dos fitonematoides. Foi possível, ainda, visualizar os maiores riscos de infestações e as áreas livres de infestação, possibilitando assim o planejamento das atividades da propriedade a fim de evitar o aumento da infestação na área e também direcionar a aplicação de insumos (químicos ou biológicos) nas áreas onde seria necessário o controle.

Palavras-chave


Planejamento controle de nematoides; mapeamento de nematoides; cafeicultura sustentável; Meloidoigyne exigua

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, L. S., GUIMARÃES, E. C. geoestatística e análise fatorial exploratória para representação espacial de atributos químicos do solo, na cafeicultura. Coffee Science, Lavras, v. 11, n. 2, p. 195 - 203, abr./jun. 2016.

AVELINO, J. et al., Relationships between agro-ecological factors and population densities of Meloidogyne exigua and Pratylenchus coffeae sensu lato in coffee roots, in Costa Rica, Applied Soil Ecology, V. 43, Issue 1, Pages 95-105, set. 2009.

BARBOSA, D.H.S.G. et al. Field Estimates of Coffe Yield Losses and Damage Threshold by Melodoigyne exigua. Nematologia Brasileira, Piracicaba, Vol. 28, pag. 49-54. Junho 2004

BARBOSA, D. H.S.G., SOUZA, R. M., VIEIRA, H. D., Field assessment of coffee (Coffea arabica L.) cultivars in Meloidogyne exigua-infested or –free fields in Rio de Janeiro State, Brazil, Crop Protection, V. 29, nº 2, p. 175-177, Fev. 2010,

BARBOSA, D.H.S.G. et al. Efeito da Enxertia e do Nematoide Meloidogyne Exígua Crescimento Radicular e a Produtividade de Cafeeiros. Coffee Science, Lavras, v. 9, n. 4, p. 427 - 434, out./dez. 2014.

CAMBARDELLA, C. A. et al. Field-scale variability of soil proprieties in central Iowa soils. Soil Science Society America Journal, Medison, v.58, n. 5, p.1240-1248, 1994.

CADIOLI, M. C. et al . Efeito de isolados de Paecilomyces lilacinus no desenvolvimento de cafezais e na população de Meloidogyne paranaensis. Ciência Agrotécnica, Lavras , v. 33, n. 3, p. 713-720, June 2009 .

CAMPOS, V.P., VILLAIN, L. Nematode parasites of coffee, cocoa and tea. In: Luc, M., Sikora, R.A., Bridge J. (Eds.) Plant parasitic nematodes in subtropical and tropical agriculture. Wallingford UK. CAB International. p. 529-579. 2005.

CASTRO, J. M. C. et al. Levantamento de Fitonematóides em Cafezais do Sul de Minas Gerais. Nematologia Brasileira. Piracicaba. Vol. 32 nº 1 - Pag 56 – 64. Mar 2008

COOLEN, W. A.; D'HERDE, C. J. A method for the quantitative extraction of nematodes from plant tissue. Ghent: State Nematology and Entomology Research Station, 1972. 77p.

COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO – CONAB. Estimativas de Safras Agrícolas. Levantamento Café. Disponível em:. Acesso em: 06 jan. 2016.

DIAS, F. P. et al., Desenvolvimento de Cafeeiros enxertados “Apoatã IAC 2258” cultivados em recipientes de 250 litros. Ciência Agrotécnica, Lavras, v. 32, n. 2, p. 385-390, mar./abr., 2008

DINARDO-MIRANDA, L. L.; FRACASSO, J. V.. Spatial and temporal variability of plant-parasitic nematodes population in sugarcane. Bragantia, Campinas , v. 69, supl. p. 39-52, 2010.

DI VITO, M., CROZZOLI R., VOVLAS, N. Pathogenicity of Meloidogyne exigua on coffee (Coffea Arabica L.) IN POTS. Nematropica. Flórida. V. 30, Nº. 1, p55-61, 2000.

DONG, L. Q.; ZHANG, K. Q. Microbial control of plant-parasitic nematodes: a five-party interaction. Plant Soil, The Hague, v. 288, n. 1-2, p. 31-45, 2006.

FREIRE, E. S. et al . Infectividade de juvenis do segundo estádio de Meloidogyne incognita em tomateiro após privação alimentar em solo e água em diferentes condições. Summa Phytopathol, Botucatu , v. 33, n. 3, p. 270-274, set. 2007.

GREGO, C. R.; VIEIRA, S. R.; LOURENCAO, A. L.. Spatial distribution of Pseudaletia sequax Franclemlont in triticale under no-till management. Scientia. Agricola, Piracicaba , v. 63, n. 4, p. 321-327, Aug. 2006 .

INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA – INMET. Banco de dados Meteorológicos para ensino e pesquisa-BDMEP. 2015. Disponível em: . Acesso em: 04 de janeiro de 2016.

IPPOLITO, A. et al., Modeling global distribution of agricultural insecticides in surface waters, Environmental Pollution, Volume 198, Pages 54-60, 2015.

JENKINS, W.R. A rapid centrifugal flotation technique for separating nematodes from soil. Plant Disease Report. Saint Paul, v.48, n.9, p.692, dez.1964.

LONG et al., Applying geostatistics to determine the soil quality improvement by Jerusalem artichoke in coastal saline zone. Ecological Engeneering, V.70, pp. 319–326. Set. 2014.

MANZIONE, R.L.; ZIMBACK, C.R.L. Análise Espacial Multivariada Aplicada na Avaliação da Fertilidade do Solo. Engenharia na Agricultura. Viçosa. v. 19, n. 3, p. 227-235, 2011.

NANNI, M. R. et al . Optimum size in grid soil sampling for variable rate application in site-specific management. Scientia Agricola, Piracicaba , v. 68, n. 3, p. 386-392, June 2011.

R DEVELOPMENT CORE TEAM. R: A language and environment for statistical computing. R Foundation for Statistical Computing, Vienna. Disponível em:< http://www.r-project.org >. Acesso em: 4.11 de 2015

RIBEIRO JÚNIOR, P. J. et al . Spatial pattern detection modeling of thrips (Thrips tabaci) on onion fields. Scientia. Agricola, Piracicaba , v. 66, n. 1, p. 90-99, Feb. 2009.

RITZINGER, C. H. S. P.; FANCELLI, M.. Manejo integrado de nematóides na cultura da bananeira. Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal , v. 28, n. 2, p. 331-338, Aug. pag 778 a 787, jun. 2006 .

RODRIGUES JÚNIOR, F. A. et al. Geração de zonas de manejo para cafeicultura empregando-se sensor SPAD e analise foliar. Revista Brasileira de Engenharia Agricola e Ambiental, Campina Grande, V 15.nº8, 2011.

SERA, G. H. et al . Progênies de Coffea Arabica cv IPR-100 resistentes ao nematoide Meloidogyne paranaensis. Bragantia, Campinas , v. 66, n. 1, p. 43-49, nov.2007 .

SILVA, R. V. et al. Otimização da produção de inoculo de Meloidogyne exigua em Mudas de Cafeeiro. Nematologia Brasileira. Brasília. Vol 30, nº 3, 229-238. Nov. 2006.

SILVA, R. V. et al . Respostas de genótipos de Coffea spp. a diferentes populações de Meloidogyne exigua. Fitopatologia Brasileira, Brasília , v. 32, n. 3, p. 205-212, jun. 2007 .

SILVA, R. V. et al . Effects of silicon on the penetration and reproduction events of Meloidogyne exigua on coffee roots. Bragantia, Campinas , v. 74, n. 2, p. 196-199, jun. 2015 .

VIEIRA, D. L. et al . Flutuação populacional e dependência espacial de Aleurocanthus woglumi Ashby, 1915 (Hemiptera: Aleyrodidae) em Citrus latifolia. Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal , v. 36, n. 4, p. 862-871, dez. 2014.

YAMAMOTO, J. K.; LANDIM, P. M. B. Geoestatística: conceitos e aplicações. São Paulo. Oficina Textos. 2013. 215p.




DOI: http://dx.doi.org/10.25186/cs.v12i4.1323

Apontamentos

  • Não há apontamentos.