Componentes genéticos do desenvolvimento e maturação de frutos de Coffea canephora Pierre ex A.Froehner

Carolina Augusto de Souza, Rodrigo Barros Rocha, Enrique Anastácio Alves, Marcelo Curitiba Espindula, André Rostand Ramalho, Alexsandro Lara Teixeira, Maria Amélia Gava Ferrão

Resumo


O ciclo de maturação dos frutos do cafeeiro Coffea canephora é uma característica de herança complexa, de expressão governada por vários genes influenciados pelo ambiente, o que resulta em uma característica quantitativa de distribuição contínua. O objetivo desse trabalho foi caracterizar os componentes genéticos do ciclo de maturação dos frutos de C. canephora visando caracterizar o mecanismo de herança e a influência do ambiente na expressão dessa característica. Para isso foram avaliados o número de dias e a soma térmica para a maturação dos frutos de 130 clones, avaliados ao longo de 36 meses, em delineamento de blocos ao acaso com seis repetições de quatro plantas por parcela no município de Ouro Preto do Oeste - RO. Os valores genotípicos e os componentes de variância foram estimados utilizando-se métodos de Máxima Verossimilhança Restrita (REML) e Melhor Predição Linear Não Viesada (BLUP) e a dissimilaridade entre os genótipos quantificada utilizando técnicas de agrupamento hierárquico. As estimativas dos parâmetros genéticos indicam maior acurácia da soma térmica para estimar o ciclo de maturação dos frutos, e uma predominância do efeito genotípico na expressão dessa característica. No dendrograma foi possível observar três grupos de maturação distintos que se mantiveram ao longo do tempo. Também foram observados genótipos (20%) que apresentaram mudanças em sua classificação devido à ação do ambiente. A quantificação da eficiência da seleção e o agrupamento dos clones de ciclo de maturação semelhante subsidiam o desenvolvimento de novas variedades de maior uniformidade de maturação de frutos.

Palavras-chave


ciclo de maturação, acurácia de seleção, soma térmica, Amazônia, Rondônia

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério da Agricultura e Reforma Agrária. Secretaria Nacional de Irrigação. Normais climatológicas: 1961-1990. Brasília: Departamento Nacional de Meteorologia, 1992. 84p.

BARDIN-CAMPAROTTO, L.; CAMARGO, M.B.P. & MORAES, J.F.L. Época provável de maturação para diferentes cultivares de café arábica para o Estado de São Paulo. Ciência Rural, 42:594-599, 2012

CARVALHO, H. P. et al. Índices bioclimáticos para a cultura de café. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 15, n. 6, p. 601-606, 2011.

CRUZ, C.D.; CARNEIRO, P.S.C. Modelos biométricos aplicados ao melhoramento genético. 2.ed. Viçosa: UFV, 2006. v.2. 586p.

CUNHA, A.R; VOLPE, C.A. Curvas de crescimento do fruto de cafeeiro cv. Obatã IAC 1669-20 em diferentes alinhamentos de plantio. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v.32, n.1, p.49-62, 2011.

DAVIS, A. P. et al. Growing coffee: Psilanthus (Rubiaceae) subsumed on the basis of molecular and morphological data; implications for the size, morphology, distribution and evolutionary history of Coffea. Botanical Journal of the Linnean Society, v. 167, n. 4, p. 357-377, 2011.

DAMARIO, E. A.; PASCALE, A, J.; BURIOL, G. A. Disponibilidades de calor para os cultivos no Estado do Rio Grande do Sul. Revista do Centro de Ciências Rurais, Santa Maria, v. 6, n. 2, 2008.

DUBBERSTEIN, D. et al. Concentration and accumulation of macronutrients in leaf of coffee berries in the Amazon, Brazil. Australian Journal of Crop Science, v. 10, p. 701-710, 2016.

FERRÃO, R. G. et al. Genetic parameters in Conilon coffee. Pesquisa Agropecuaria Brasileira, Brasilia, v. 43, n. 1, p. 61-69, 2008.

HENDERSON, C. R.; QUAAS, R. L. Multiple trait evaluation using relatives' records. Journal of Animal Science, Washington, v. 43, n. 6, p. 1188-1197, 1976.

LAVIOLA, B. G. et al. Acúmulo de nutrientes em frutos de cafeeiro em quatro altitudes de cultivo: cálcio, magnésio e enxofre. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 31, p. 1451-1462, 2007.

LIMA, E.P.; SILVA, E.L da. Temperatura base, coeficientes de cultura e graus-dia para cafeeiro arábica em fase de implantação. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 12, n. 3, p. 266-273, 2008.

MACHADO, S.do A.; FIGUEIREDO FILHO, A. Dendrometria. 2. ed. Paraná: Editora Unicentro, 2006. 316 p.

MARCOLAN, A. L. et al. Cultivo dos cafeeiros conilon e Robusta para Rondônia. Porto Velho, RO: (EMBRAPA Rondônia: Sistema de produção 33), 2009. 67 p.

MOURA, SCSR de et al. Avaliações físicas, químicas e sensoriais de blends de café arábica com café canephora (robusta). Brazilian Journal Food Technology., Campinas, v. 10, n. 4, p. 271-277, 2007.

PARTELLI, F. L. et al. Dry matter and macronutrient accumulation in fruits of conilon coffee with different ripening cycles. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v. 38, n. 1, p. 214-222, 2014.

PARTELLI, F. L. et al. Seasonal vegetative growth of different age branches of conilon coffee tree. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 31, n. 3, p. 619-626, 2010.

PAULA CARVALHO, H. et al. Classificação do ciclo de desenvolvimento de cultivares de cafeeiro através da soma térmica. Coffee Science, v. 9, n. 2, p. 237-244, 2014.

PETEK, M. R.; SERA, T.; FONSECA, I. C. de B. Exigências climáticas para o desenvolvimento e maturação dos frutos de cultivares de Coffea arabica. Bragantia, Campinas, v. 68, n. 1, p. 169-181, 2009.

PEZZOPANE, J. R. M. et al. Escala para avaliação de estádios fenológicos do cafeeiro arábica. Bragantia, Campinas, v. 62, n. 3, p. 499-505, 2003.

PEZZOPANE, J. R. M. et al. Exigência térmica do café arábica cv. Mundo Novo no subperíodo florescimento-colheita. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 32, n. 6, p.1781-1786, nov./dez. 2008.

PEZZOPANE, J. R. M. et al. Zoneamento de risco climático para a cultura do café Conilon no Estado do Espírito Santo. Revista Ciência Agronômica, v. 41, n. 3, p. 341-348, 2010.

RAMALHO, M.A.P. Experimentação em Genética e Melhoramento de Plantas. Lavras: Editora UFLA, 2000.326 p.

RAMALHO, A. R. et al. Progresso genético da produtividade de café beneficiado com a seleção de clones de cafeeiro'Conilon'. Revista Ciência Agronômica, Fortaleza, v. 47, n. 3, p. 516, 2016.

RESENDE, M.D.V. et al. Estimativas de parâmetros genéticos e predição de valores genotípicos no melhoramento do cafeeiro pelo procedimento REML/BLUP. Bragantia, Campinas, v.60, n.3, p.185-193, 2001.

RESENDE, M.D.V. Genética biométrica e estatística no melhoramento de plantas perenes. Brasília, Embrapa Informação Tecnológica. 975p. 2002

RIBEIRO, B. B. et al. Avaliação química e sensorial de blends de Coffea canephora Pierre e Coffea arabica L. Coffee Science, v. 9, n. 2, p. 178-186, 2014.

ROCHA, R. B.; et al. Caracterização e uso da variabilidade genética de banco ativo de germoplasma de Coffea canephora Pierre ex Froehner. Coffee Science, v. 8, n. 4, p. 478-485, 2014.

SALAZAR-PARRA, C. et al. Climate change (elevated CO2 , elevated temperature and moderate drought) triggers the antioxidant enzymes’ response of grapevine cv. Tempranillo, avoiding oxidative damage. Physiologia Plantarum, Malden, v. 144, n. 2, p. 99-110, 2012.

SERA, T. et al. Melhoramento do cafeeiro: variedades melhoradas no Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR). O estado da arte de tecnologias na produção de café. Viçosa: UFV, p. 217-251, 2002.

SCOTT, D. W. On optimal and data-based histograms. Biometrika, Oxfor, v. 66, n. 3, p. 605-610, mai. 1979.

REZENDE, F. C. et al. Características produtivas do cafeeiro (Coffea arabica L. cv., Topázio MG-1190), recepado e irrigado por gotejamento. Coffee Science, v. 1, n. 2, p. p. 103-110, 2007.

TEIXEIRA, A. L. et al. Selection of arabica coffee progenies tolerant to heat stress. Ciência Rural, Santa Maria, v.45, n.7, p. 1228-1234, 2015.

VENCOVSKY R.; BARRIGA P. Componentes da variação fenotípica: análise em vários ambientes. In:_________ (Ed.). Genética biométrica no fitomelhoramento. Ribeirão Preto: Sociedade Brasileira de Genética: 1992. p.233-333.

WARRINGTON, I. J.; KANEMASU, E. T. Corn growth response to temperature and photoperiod I. Seedling emergence, tassel initiation, and anthesis. Agronomy Journal, [online], v. 75, n. 5, p. 749-754, 1983.




DOI: http://dx.doi.org/10.25186/cs.v12i3.1295

Apontamentos

  • Não há apontamentos.