Influência da adubação no crescimento vegetativo de cafeeiros na Amazônia sul ocidental

Danielly Dubberstein, Fabio Luiz Partelli, Jairo Rafael Machado Dias, Marcelo Curitiba Espindula

Resumo


O conhecimento do padrão de crescimento do cafeeiro torna-se fundamental para auxiliar no manejo da lavoura, em virtude da ocorrência de sazonalidade de crescimento ao longo do ano. Objetivou-se avaliar o crescimento vegetativo de ramos de cafeeiro situados na Amazônia Sul Ocidental em plantas adubada e não adubada. O experimento foi conduzido em lavoura clonal, com delineamento de blocos casualizados com três repetições,em esquema de parcelas subdivididas no tempo. As parcelas principais foram constituídas por plantas adubadas e não adubadas e as subparcelas acomodaram as épocas de avaliação (medições). As análises de crescimento dos ramos ortotrópico e plagiotrópico foram mensuradas a cada 14 dias, de maio de 2013 a junho de 2014,a partir disso estimou-se a taxa diária de crescimento vegetativo. Os dados foram submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Tukey. A adubação proporcionou maior crescimento aos ramos ortotrópico e plagiotrópico durante o período de outubro a dezembro. Averiguaram-se variações sazonais de crescimento ao longo do ano, com as maiores taxas incidindo de meados de setembro ao início de abril, quando ocorre maior parte da precipitação pluviométrica na região. Para um manejo nutricional eficiente, recomenda-se atenção especial ao parcelamento da adubação neste período.

Palavras-chave


Coffea canephora; análise de crescimento; variações sazonais; nutrição mineral

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, S.L.S de. et al. Fertilização foliar em mudas de cafeeiro com organominerais líquidos. Tecnologia & Ciência Agropecuária, João Pessoa, v. 5, n. 3, p. 9-13, set. 2011.

AMARAL, J. A. T. do.; RENA, A. B.; AMARAL, J. F. T do. Crescimento vegetativo sazonal do cafeeiro e sua relação com fotoperíodo, frutificação, resistência estomática e fotossíntese. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 41, n. 3, p. 377-384, mar. 2006.

AMARAL, J. A. T. do. et al. Crescimento vegetativo e produtividade de cafeeiros conilon propagados por estacas em tubetes. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 31, n. 6, p. 1624-1629, nov./dez. 2007.

ALVAREZ V, V. H. et al. Interpretação dos resultados das análises de solos. In: RIBEIRO, A. C.; GUIMARÃES, P. T. G.; ALVAREZ V, V. H (ed) Recomendações para o uso de corretivos e fertilizantes em Minas Gerais, 5ª Aproximação, Viçosa, CFSEMG, 1999, p. 289-302.

BUNN, C. et al. A bitter cup: climate change profile of global production of Arabica and Robusta coffee. Climatic Change, Berlin, v. 129, n. 1, p. 89-101, 2015.

CONAB. Acompanhamento da safra brasileira de café, Safra 2015, Quarto levantamento. Disponível em: http://www.conab.gov.br/OlalaCMS/uploads/arquivos/15_12_17_09_02_47_boletim_cafe_dezembro_2015_2.pdf. Acesso em: 22 fev. 2016.

DAMATTA, F. M.; RAMALHO, J. D. C. Impacts of drought and temperature stress on coffee physiology and production: a review. Brazilian Journal of Plant Physiology, Campos dos Goytacazes, v. 18, n. 1, p. 55-81, jan./mar. 2006.

DAVIS, A. P. et al. Growing coffee: Psilanthus (Rubiaceae) subsumed on the basis of molecular and morphological data: implications for the size, morphology, distribution and evolutionary history of Coffea. Botanical Journal of the Linnean Society, Londres, v. 167, n. 1, p. 357-377, 2011.

FERRAREZI, R. S. et al. Crescimento de mudas de café sob diferentes preparo do solo e irrigação para agricultura familiar. Coffee Science, Lavras, v. 10, n. 1, p. 91-101, jan./mar. 2015.

FERREIRA, E. P. B. et al. Crescimento vegetativo de Coffea arabica L. influenciado por irrigação e fatores climáticos no Cerrado Goiano. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 34, n. 6, p. 3235-3244, 2013.

LAVIOLA, B. G. et al. Dinâmica de N e K em folhas, flores e frutos de cafeeiro arábico em três níveis de adubação. Bioscience Journal, Uberlândia, v. 22, n. 3, p. 33-47, set./dez.2006.

LAVIOLA, B. G. et al. Acúmulo em frutos e variação na concentração foliar de NPK em cafeeiro cultivado em quatro altitudes. Bioscience Journal, Uberlândia, v. 24, n. 19-31, jan./mar. 2008.

MARSETTI, M. M. S. et al. Déficit hídrico e fatores climáticos na uniformidade da florada do cafeeiro conilon irrigado. Revista Brasileira de Agricultura Irrigada, Fortaleza, v. 7, n. 6, p. 371-380, 2013.

MARTINS, C. C. et al. Crescimento inicial do café conilon (Coffea canephora Pierre ex Froehner) sob diferentes lâminas de irrigação. Engenharia na Agricultura, Viçosa, v. 14, n. 3, p. 193-201, jul./set. 2006.

NAZARENO, R. B. et al. Crescimento inicial do cafeeiro Rubi em resposta a doses de nitrogênio, fósforo e potássio e a regimes hídricos. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 38, n. 8, p. 903-910, ago. 2003.

PEREIRA, C. S.; SOUZA, F. L. F. de.; GODOI, C. A. Aplicação de Extrato Etanólico de Própolis (EEP) na nutrição e desenvolvimento de mudas de cafeeiro. Coffee Science, Lavras, v. 9, n. 1, p. 14-23, jan./mar. 2014.

PARTELLI, F. L. et al. Dry matter and macronutrient accumulation in fruits of conilon coffee with different ripening cycles. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v. 38, n. 1, p. 214-222, 2014.

PARTELLI, F. L. et al. Seasonal vegetative growth in genotypes of Coffea canephora, as related to climatic factors. Journal of Agricultural Science, Toronto, v. 5, n. 8, p. 108-116, 2013.

PARTELLI, F. L. et al. Seasonal vegetative growth of different age branches of conilon coffee tree. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 31, n. 3, p. 619-626, 2010.

PINTO, C. G. et al. Faixas críticas de teores foliares de macronutrientes primários para cafeeiros fertirrigados no primeiro ano pós-plantio. Coffee Science, Lavras, v. 8, n. 4, p. 530-538, out./dez. 2013.

RAMOS, R. A. et al. Variação sazonal do crescimento vegetativo de laranjeiras Hamlin enxertadas em citrumeleiro Swingle no município de Limeira, Estado de São Paulo. Acta Scientiarum Agronomy, Maringá, v. 32, n.3, p. 539-545, 2010.

RODRIGUES, W. P. et al. Long-term elevated air [CO2] strengthens photosynthetic functioning and mitigates the impact of supra-optimal temperatures in tropical Coffea arabica and C. canephora species. Global Change Biology, Oxford, v. 22, n. 1, p. 415-431, jan. 2016.

RAMALHO, J. C. et al. Cold impact and acclimation response of Coffea spp. plants. Theoretical and Experimental Plant Physiology, Campos dos Goytacases, v. 26, p. 5-18, 2014.

SAKAY E. et al. Coffee productivity and root systems in cultivation schemes with different population arrangements and with and without drip irrigation. Agricultural Water Management, Filadélfia, v. 148, n. 1, 16-23, 2015.

SANTOS, H. G. dos. et al. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. 3º Ed. Brasília, 2013, 353 p.

SEDAM. Boletim Climatológico de Rondônia, ano 2010. Disponível em: (http://www.sedam.ro.gov.br/images/boletim 2010.pdf). Acesso em: 19 fev. 2016.

SOARES, A. R. et al. Irrigação e fisiologia da floração em cafeeiros adultos na região da zona da mata de Minas Gerais. Acta Scientiarum. Agronomy, Maringá, v. 27, n. 1, p. 117-125, jan./mar, 2005.

SOBREIRA, F. M. et al. Adubação nitrogenada e potássica de cafeeiro fertirrigado na fase de formação, em plantio adensado. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 46, n. 1, p. 1-8, jan. 2011.

SOUZA, R. S. et al. Características de crescimento inicial de duas cultivares de cafeeiro sob diferentes regimes hídricos e níveis de fertilização NPK. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 34, n. 6, p. 3141-3152, 2013.

TAIZ, L.; ZEIGER, E. Plant Physiology. 5º ed. Sunderland, Sinauer Associates, 2010, 782 p.

VILLELA, G. M. et al. Faixas críticas de teores foliares de macronutrientes primários para cafeeiros fertirrigados em formação. Coffee Science, Lavras, v. 10, n. 3, p. 271-279, jul./set. 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.