Perfil sensorial de cultivares de café processados por via seca e via úmida após armazenamento

Bruno Batista Ribeiro, Cleiton Antônio Nunes, Antonio Jackson Jesus Souza, Fernanda Faria Montanari, Virgílio Anastácio da Silva, Raul Antônio Viana Madeira, Clovis de Piza

Resumo


Os diferentes tipos de processamentos pós-colheita empregados nos frutos de café podem originar diferentes bebidas, cujo perfil sensorial depende de fatores ambientais e do manejo no processo de produção. Todos os processos envolvidos na produção de café, desde as características edafoclimáticas da área de cultivo até o sistema de armazenamento adotado, interferem na qualidade de bebida do café. Objetivou-se neste trabalho descrever o perfil sensorial de diferentes cultivares de café processados por via seca (natural) e via úmida (desmucilado), após um ano de armazenamento. Foram avaliados sensorialmente quatro cultivares de café (Catuaí Vermelho IAC 144, Iapar 59, Bourbon Amarelo e Paraíso MG H 419-1), da espécie Coffea arabica L. da safra de 2012/2013, com a realização de dois processamentos pós-colheita (natural e cereja desmucilado) após um ano de armazenamento. A análise sensorial foi realizada por dois provadores credenciados e habilitados por meio do protocolo da Specialty Coffee Association of America – SCAA. As cultivares se comportam de maneira diferenciada na qualidade em função do processamento adotado. Os cafés do processamento natural se destacaram na maioria dos atributos sensoriais avaliados em relação aos cafés desmucilados após um ano de armazenamento. As cultivares Catuaí Vermelho IAC 144 e Iapar 59 apresentaram melhor qualidade quando submetidas ao processamento natural. Já nos cafés desmucilados, maiores notas foram atribuídas às cultivares Bourbon Amarelo e Paraíso.

Palavras-chave


Coffea arabica; qualidade de café; Pós-colheita; Análise de componentes principais

Texto completo:

PDF

Referências


BERTRAND, B.; VAAST, P.; ALPIZAR, E.; ETIENNE, H.; DAVRIEUX, F.; CHARMETANT, P. Comparison of bean biochemical composition and beverage quality of Arabica hybrids involving Sudanese-Ethiopian origins with traditional varieties at various elevations in Central America. Tree Physiology, Victoria, v. 26, n. 9, p. 1239-1248, June 2006.

BORÉM, F. M.; NOBRE, G. W.; FERNANDES, S. M.; PEREIRA, R. G. F. A.; OLIVEIRA, P. D. Avaliação sensorial do café cereja descascado, armazenado sob atmosfera artificial e convencional. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 32, n. 6, p. 1724-1729, nov./dez. 2008.

CORADI, P. C.; BORÉM, F. M.; OLIVEIRA, J. A. Qualidade do café natural e despolpado após diferentes tipos de secagem e armazenamento. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental. Campina Grande, v.12, n.2, p.181–188, mar./abr. 2008.

CORRÊIA, P.C.; JÚNIOR, P.; SILVA, F. D.; RIBEIRO, D. M. Qualidade dos grãos de café (Coffea arabica L.) durante o armazenamento em condições diversas. Revista Brasileira de Armazenamento, Viçosa, n.7, p.137-147, jan./jun. 2003.

EVANGELISTA, A. W. P.; CARVALHO, L. G. de; SEDIYAMA, G. C. Zoneamento climático associado ao potencial produtivo da cultura do café no Estado de Minas Gerais. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 6, n. 3, p. 445-452, set./dez. 2002.

FARAH, A.; MONTEIRO, M. C.; CALADO, V.; FRANCA, A. S.; TRUGO, L. C. Correlation between cup quality and chemical attributes of Brazilian coffee. Food Chemistry, Oxford, v. 98, n. 2, p. 373-380, abr./jun. 2006.

FIGUEIREDO, L. P. Perfil sensorial e químico de Genótipos de cafeeiro Bourbon de diferentes origens geográficas. 2010, 81 p. Dissertação (Mestrado em Ciências dos Alimentos) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2010.

KOBAYASHI, E. S.; SAKAI, E.; SILVA, E. A. da; PIRES, R. C. M. Condições ambientais e o manejo da irrigação influenciando a qualidade do café. O Agronômico, Campinas, v. 59, n. 1, p. 30-32, jan. 2007.

LAVIOLA, B. G.; MARTINEZ, H. E. P.; SALOMÃO, L. C. C.; CRUZ, C. D.; MENDONÇA, S. M.; PAULA, N. Alocação de fotoassimilados em folhas e frutos de cafeeiro cultivado em duas altitudes. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 42, n. 11, p. 1521-1530, nov. 2007.

LEITE, R. A.; CORRÊA, P. C. C.; OLIVEIRA, M. G. de A.; REIS, F. P.; OLIVEIRA, T. T. de. Qualidade tecnológica do café (Coffea arabica L.) pré-processado por “via seca” e “via úmida” avaliada por método químico. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v.2, n.2, p.308-311, mai./ago. 1998.

LIU, P.; BYERS, A.; GIOVANNUCCI, D. Value-adding standards in the North American food market-trade opportunities in certified products for developing countries. FAO Trade and Markets Division, 2008.

MALTA, M. R.; DOS SANTOS, M. L.; DE MELO SILVA, F. A. Qualidade de grãos de diferentes cultivares de cafeeiro (Coffea arabica L.). Acta Scientiarum Agronomy, v. 24, p. 1385-1390, jan./dez. 2002.

MINGOTI, S. A. Análise de dados através de métodos de estatística multivariada: uma abordagem aplicada. Belo Horizonte: UFMG, 2005. 297 p.

NOBRE, G. W.; BORÉM, F. M.; FERNANDES, S. M.; PEREIRA, R. G. F. A. Alterações químicas do café-cereja descascado durante o armazenamento Coffee Science, Lavras, v. 2, n. 1, p. 1-9, jan./jun. 2007.

NUNES C.A.; PINHEIRO A.C.M. SensoMaker versão 1.4. UFLA, Lavras, 2012.

RIBEIRO, F. C. et al. Storage of green coffee in hermetic packaging injected with CO2. Journal of Stored Products Research, vol. 47, October 2011, p. 341 e 348.

SANTOS, M. A.; CHALFOUN, S. M.; PIMENTA, C. J. Influência do processamento por via úmida e tipos de secagem sobre a composição, físico química e química do café (Coffea arabica L.). Ciência e Agrotecnologia, v. 33, n. 1, p. 213-218, jan./fev. 2009.

SELMAR, D., BYTOF, G., KNOPP, S.E. The storage of green coffee (Coffea arabica): decrease of viability and changes of potential aroma precursors. Annals of Botany, v. 101, p. 31-38, jan. 2008.

SPECIALTY COFFEE ASSOCIATION OF AMERICA. Backgrounder: what’s special about specialty coffee? 2008. Disponível em: . Acesso em: 22 dez. 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.